Ansiedade

A ansiedade é essencial para nossa sobrevivência, fazendo parte do nosso sistema de defesa. É indispensável para a adaptação do indivíduo em sociedade, sendo ela que nos impulsiona para nossas realizações. Em grau normal, a ansiedade é um sinal de alerta que prepara a pessoa para ação, protegendo de perigos possíveis. Então, todos nós somos ansiosos, o que diferencia entre o normal e patológico é o grau da ansiedade e o tempo de duração.


A ansiedade é uma sensação desagradável de que não vai dar conta dos acontecimentos da vida. Sentimento de angústia voltado para o futuro, preocupações constantes com situações que ainda não aconteceram, podendo ser desde um mal-estar até um estado de pânico. É por definição um acontecimento mental e fisiológico ao mesmo tempo. Podem ocorrer alguns dos seguintes sintomas físicos; insônia, falta ou excesso de apetite, inquietação motora, palpitações, falta de ar, sudorese, tremores e tontura. Na ansiedade a pessoa vive apreensiva de que algo de ruim poderá acontecer a si ou às pessoas queridas, ou seja, os pensamentos giram em torno de catástrofes. O comportamento é guiado por uma rotina, para que assim evite qualquer situação que causa ansiedade.

As influências da ansiedade são:
- a forma de pensar: se a pessoa tem a tendência de ter pensamentos negativos irá sofrer mais com a ansiedade;
- as experiências traumatizantes: se uma pessoa, no trânsito, já foi assaltada por um motoqueiro, possivelmente ficará ansiosa quando alguém parar com uma moto ao seu lado.
- e ser mulher: durante o período pré-menstrual, o cérebro é privado de progesterona e estrógeno, sendo estes hormônios calmantes.
Outros fatores como trabalho, estudos, saúde, dinheiro, segurança e problemas do cotidiano, trazem preocupação e por conseqüência a ansiedade.

Quando a ansiedade se torna excessiva, atrapalhando a vida pessoal e profissional, é importante que seja tratada. A ansiedade pode ser comparada com uma febre; um sintoma demonstrando que algo não está bem. Portanto se tratar somente a febre, o problema real está sendo ignorado, é preciso encontrar os motivos da ansiedade. O tratamento pode ser feito com medicamentos indicados por um psiquiatra, e em conjunto com a psicoterapia.

Na psicoterapia são trabalhadas as emoções, os pensamentos, as pressões do cotidiano e os traumas que não foram resolvidos. Auxilia a pessoa a buscar novos caminhos para enfrentar os problemas, deixando de sofrer por antecipação. Dessa forma, a pessoa aprende a se desligar dos pensamentos recorrentes, percebendo que nem tudo é motivo de tanta preocupação, aumentando sua autoconfiança e auto-estima.

Adelita Fátima de Almeida
Psicóloga Clínica
(11) 9 8289 4459


Palavras-Chave: ansiedade tratamento, ansiedade, tratamento psicológico para ansiedade, sintomas ansiedade.